Chef de cozinha, Ingrid Cruz faz ensaio nu para revista e rebate haters: "tudo é prazer"

Chef de cozinha, Ingrid Cruz faz ensaio nu para revista e rebate haters: "tudo é prazer"
Fotos: Set Nu / Edu Graboski / Divulgação

Dividindo seu tempo entre a cozinha e os trabalhos como modelo, Ingrid Cruz, 40 anos, causou polêmica ao posar nua para a revista Sexy. Ela é capa da edição digital deste mês, que acaba de ser lançada. Alvo de haters nas redes sociais, a chef conta que já havia sofrido preconceito ao participar do concurso 'A Garota Mais Sexy do Brasil', promovido pela publicação.

"É um desejo antigo posar nua, fiz um ensaio bem leve e elegante. Nada explícito e vulgar! Sexo, cozinha... tudo é prazer e tudo está relacionado. Não à toa temos vários alimentos afrodisíacos. Posar sexy não me faz uma chef pior. E ser chef não me diminui como modelo, nada a ver. As pessoas confundem e acho isso uma baita hipocrisia, uma grande ignorância", dispara.

Posando em sua própria cozinha e abusando do 'carão', Ingrid diz que a ideia foi instigar os homens acostumados a ver a revista. O tema é inédito e causou um verdadeiro burburinho nas redes sociais. "Recebi muita mensagem de homens dizendo que iam para a cozinha (risos). Acho isso legal, consegui mexer com o imaginário deles", diz. "Quero fazer com os homens se interessem pela cozinha, de um jeito ou de outro", brinca.

Empolgada com o ensaio e com esse seu lado mais sensual, a chef agora planeja lançar um programa bem inusitado no seu canal do YouTube. Ingrid deve começar a atração vestida, fazendo compras no mercado e apresentando o menu do dia. Na sequência, já na cozinha, ela sensualiza e passa a fazer as receitas apenas com um avental, sem nada por baixo.

"Já temos programas tradicionais por aí, de receitas e dicas de nutrição. A minha ideia é ousar e causar de verdade. Trazer um público masculino mesmo para esse tipo de programa", conta. "O próximo passo é gravar o piloto e lançar na internet para ver a repercussão, como vai ser a aceitação das pessoas. Espero que o YouTube não me censure".